Blog do Anuar, Política e Linguagem!


Mais dois nomes na ‘farra’ do clã Sarney em Brasília!!!

Fernando Belfort, diretor executivo do Memorial José Sarney, recebeu R$ 3 mil mensais durante 1 ano e 7 meses como assistente parlamentar de Roseana

Raimundo Quintiliano Filho, coordenador de projetos do Convento das Mercês, ganha R$ 8 mil mensais como secretário parlamentar de Edinho Lobão

Convento das Mercês: dois diretores na Folha do Senado!!

Mais dois nomes ligados ao clã Sarney – são 12 até agora – foram revelados ontem, como resultado da abertura da “caixa-preta” das nomeações imorais do Senado Federal, presidido pelo senador José Sarney (PMDB-AP). Ambos são diretores do Convento das Mercês, tomado ao patrimônio público por José Sarney e que recentemente a Justiça mandou devolver ao Estado. São eles Fernando Belfort e Raimundo Nonato Pereira Quintiliano Filho.

A reportagem do Jornal Pequeno apurou que Belfort, amigo pessoal de Fernando Sarney, superintendente do Sistema Mirante, foi nomeado assistente parlamentar no gabinete da liderança do governo (representada pela então senadora Roseana Sarney), em 24 de agosto de 2007, com salário de R$ 3 mil, e exonerado em 3 de abril deste ano (2009) por ato secreto.

 Raimundo Quintiliano Filho foi lotado no gabinete do senador Edison Lobão Filho, o Edinho Lobão (PMDB-MA), filho do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, também integrante do PMDB. O salário de Quintiliano é de perto de R$ 8 mil. Ele foi nomeado para o cargo de secretário parlamentar em 6 de abril de 1995, quando Lobão pai era senador. Edinho Lobão assumiu o lugar do pai como suplente em janeiro de 2008, depois que este foi nomeado pelo presidente Lula para assumir o ministério.

Fernando Belfort – ex-gerente regional de Itapecuru-Mirim do governo Roseana Sarney (1995-2002) – recebeu do Senado durante um ano e sete meses, ao menos R$ 57 mil, apesar de nunca aparecer em Brasília. Ele mora em São Luís, onde é diretor executivo do Memorial José Sarney, o nome que o senador colocou no convento das Mercês, do qual quer se apossar.

Já Quintiliano Filho, que também mora em São Luís, é coordenador de projetos da Fundação José Sarney – que administra o convento das Mercês.

Formado em administração, Quintiliano se aproximou do grupo Sarney por conta de sua ligação com o ex-prefeito de Caxias Aluizio de Abreu Lobo, com quem a irmã de Quintiliano é casada.

A ‘farra’ de parentes e agregados do clã

Confira quem são os familiares e pessoas ligadas a José Sarney revelados até agora na abertura da ‘caixa-preta’ do Senado

1. Fernando Belfort – (Diretor executivo do Memorial José Sarney). Recebeu R$ 3 mil mensais durante 1 ano e 7 meses como assistente parlamentar de Roseana Sarney, mesmo morando em São Luís. Nomeado em agosto de 2007 e exonerado em abril deste ano (2009) por ato secreto.

2. Raimundo Nonato Pereira Quintiliano Filho – (Coordenador de projetos do convento das Mercês). Ganha R$ 8 mil mensais como secretário parlamentar de Edinho Lobão. Nomeado em abril de 1995.

3. Amaury de Jesus Machado – (Espécie de mordomo de Roseana Sarney). Aos 51 anos, Amaury, conhecido como “Secreta”, é funcionário efetivo do Senado (gabinete de Mauro Fecury, suplente de Roseana Sarney). Ganha, com gratificações, em torno de R$ 12 mil mensais. Deveria trabalhar no Congresso, mas de 2003 para cá dá expediente a 7 km dali, na mansão que Roseana mantém no Lago Sul de Brasília.

4. Ivan Celso Furtado Sarney – (Irmão de José Sarney, por parte de pai). Em maio de 2005, foi nomeado para ser assistente parlamentar (AP-4) no gabinete do então segundo-secretário do Senado, João Alberto (PMDB-MA). Dois anos mais tarde, foi exonerado do Senado. É ex-vereador por São Luís (não se reelegeu no ano passado) e escritor (membro da Academia Maranhense de Letras).

5. João Fernando Michels Gonçalves Sarney – (Neto de Sarney, é filho de Fernando Sarney com a ex-miss Rosângela Terezinha Michels Gonçalves). Em fevereiro de 2007, foi nomeado – por ato assinado pelo atual diretor-geral José Alexandre Lima Gazineo – como secretário parlamentar no gabinete de Epitácio Cafeteira (PTB-MA). Foi exonerado em outubro de 2008 por ato secreto.

6. Rosângela Terezinha Michels Gonçalves – (Mãe de João Fernando. Foi namorada de Fernando Sarney, filho de José Sarney). Substituiu o filho no gabinete de Epitácio Cafeteira em outubro de 2008, com mesmo cargo e mesmo salário.

7. Shirley Duarte Pinto de Araújo – (Mulher de Ernane Sarney, irmão de José Sarney). Shirley foi nomeada como assistente parlamentar sigla AP-3 para o gabinete de Roseana Sarney por ato assinado por Agaciel Maia em fevereiro de 2003. Em fevereiro de 2007, teve o cargo alterado para o de secretária parlamentar. Foi exonerada em abril passado. Esteve envolvida nas investigações da Operação Navalha, juntamente com seu marido Ernane Sarney (escute áudio no portal do JP).

8. Maria do Carmo de Castro Macieira – (Sobrinha da mulher de José Sarney, Marly). Nomeada por Agaciel Maia, em junho de 2005, para o gabinete da ex-senadora e prima Roseana Sarney – atual ocupante do governo do Maranhão – trabalha no escritório em São Luís. Ganha R$ 2,7 mil.

9. Vera Portela Macieira Borges – (Sobrinha de Marly Sarney). Funcionária pública do Ministério da Agricultura, foi cedida para trabalhar na Presidência do Senado em maio de 2003, ganhando R$ 4,6 mil. Mas, por morar em Campo Grande (MS), foi cedida para o escritório político do senador Delcídio Amaral (PT-MS) naquela capital.

10. Virgínia Murad de Araújo – (Filha do ex-deputado Emílio Biló Murad, também ex-presidente do Moto Club, de São Luís, ligado à família Sarney). Nomeada em maio de 2007 para trabalhar como assistente parlamentar do gabinete da liderança do governo no Congresso, cargo na época comandado pela ex-senadora Roseana Sarney (PMDB-MA). Iniciou com salário de R$ 1.247 e, 11 meses depois, passou a receber o dobro (R$ 2,5 mil). Segundo Luís Verônico de Araújo Neto, marido de Virgínia, ela não é parente de Jorge Murad, genro de José Sarney.

11. Nathalie Rondeau – (Filha do ex-ministro de Minas e Energia Silas Rondeau, afilhado político de José Sarney). Aspirante a modelo, Nathalie, de 23 anos, foi nomeada em 26 de agosto de 2005, por meio de um ato secreto, para trabalhar no Conselho Editorial do Senado, ganhando R$ 2,5 mil. Seu pai, Silas Rondeau, teve de deixar o cargo de ministro de Minas e Energia em maio de 2007 por suspeita de corrupção (Operação Navalha). Ele também esteve envolvido no “caso Fernando Sarney”.

EXONERADA

12. Isabella Murad Cabral Alves dos Santos – (Sobrinha de Jorge Murad, genro de José Sarney). Arquiteta, Isabella foi nomeada, em fevereiro de 2007, como assistente parlamentar na liderança do PTB no Senado (senador Epitácio Cafeteira), apesar de morar em Barcelona, na Espanha. Ganhava R$ 1,7 mil mensais. Depois da pressão da opinião pública, foi exonerada do cargo, na sexta-feira, 19.

 

Colaboração:

http://www.jornalpequeno.com.br/2009/6/23/Pagina112824.htm



Escrito por Anuar Oliveira às 13h01
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
Outros sites
  Mocotó Filosófico
  Ciência Política
  Ciências Sociais
  Cepal
  Soc Brasileira de Sociologia
  Consejo Latinoamericano de Ciências Sociales
  Le Monde diplomatique
  Facultad Latinoamericana de Ciencias Sociales
  Revista Caros Amigos
  FGV
  Assoc Nac de Pós-graduação em Filosofia
  Assoc de Professores de Filosofia
  Movimento Anti-Utilitarista nas Ciências Sociais
  Mundo dos Filósofos
  Instituto de Ciência Política
  Associação Brasileira de Antropologia
  Primeiro Filme
Votação
  Dê uma nota para meu blog